As guitarras e pedais de Kurt Cobain

As guitarras e pedais de Kurt Cobain

Recentemente passaram 30 anos sobre um dos discos que marcaram os anos 90 e uma geração de músicos. Editado em 24 de setembro de 1991, “Nevermind”, dos Nirvana, é um dos marcos da história da música popular e um dos discos que definiu essa década

Vamos conhecer algum do equipamento que moldou o grunge de Seattle e reviver uma das épocas mais ricas da história do rock. E temos algumas recomendações para o poderem recriar.

Guitarras

Para as gravações de Nevermind, Kurt Cobain escolheu guitarras Fender, mas não os que se poderiam esperar. Para suportar a tonalidade pesada e agressiva da sua música, Cobain usou dois modelos que não eram muito populares, pelo menos até então: Fender Mustang e Fender Jaguar.

A Mustang é uma guitarra com um formato pouco comum, que dava ainda mais nas vistas na sua versão canhota - o líder dos Nirvana era esquerdino, assim como outro famoso nativo do estado Washington, Jimi Hendrix. O modelo específico de Mustang usado nas gravações do álbum era uma versão dos anos 60. É também a guitarra que aparece no vídeo que lançou a banda para o estrelato.

No Salão Musical podem encontrar a Squier Bullet Mustang, uma guitarra original, cheia de espírito alternativo a um preço muito acessível. 

Squier Bullet Mustang IL RW


Outro modelo usado em algumas canções de Nevermind e que se tornou incrivelmente popular a partir dos anos 90, entrando para a coleção de quase todas as bandas indies e alternativas que vieram depois, é a Jaguar. Muitos guitarristas são atraídos para a Jaguar pelo estilo, pelo som e pela quantidade de configurações possíveis que oferece. 

A guitarra usada no disco e em imensos concertos da banda foi uma Jaguar de 1965, com acabamento sunburst. Podemos ver uma em ação num concerto dos Nirvana em 1991.

A Jaguar é uma guitarra com características muito particulares e muito versátil. O modelo  Jaguar Squier Classic Vibe 70S tem um aspecto retro e um som incrível, perfeito para músicos em busca de uma sonoridade própria. Os Sonic Youth também eram fãs deste modelo.

Fender Squier Classic Vibe Jaguar 70S IL 

Em alguns concertos podemos ver Kurt Cobain a tocar uma Fender Stratocaster branca. Eram modelos made in Japan, preferidos pelo músico por causa dos trastes mais pequenos. Muitas não sobreviveram às tours, já que Cobain parecia ter uma preferência pelas Strats na hora de destruir uma guitarra. Aqui podemos ver uma Fender branca nos MTV Video Awards, um momento que até hoje ainda persegue Krist Novoselic.

Uma guitarra tão boa como a Fender Player Stratocaster MN merece melhor destino. Tem uma construção sólida, com corpo em amieiro e braço em maple, de formato em C, para maior conforto. No Salão Musical temos o modelo em Polar White.

Fender Player Stratocaster MN Polar White 

As Stratocasters eram e continuaram a ser modelos populares nos anos 90, com bandas como os Smashing Pumpkins e os Pearl Jam a usá-las quer em estúdio quer ao vivo.

Pedais de Efeitos

Para obter toda a agressividade sonora que identificava a estética dos Nirvana, Kurt Cobain recorreu a uma coleção simples mas muito eficaz de pedais de várias marcas mas havia um - ou melhor, dois - que não podia faltar: os pedais Distortion da BOSS. 

Tanto o DS-1 como o DS-2 faziam parte do equipamento essencial dos Nirvana e percebe-se porquê. Desenhado pelos engenheiros da BOSS para proporcionar agressividade sonora em regimes de alto ganho, mantêm a riqueza nos harmónicos, sem embrulhar ou mascarar o som apenas com mais barulho. Esta capacidade era fundamental num power trio como os Nirvana com necessidade de ter agressividade e definição em doses equilibradas. 



Boss DS 1 Distortion  

Mas o som dos Nirvana não era só distorção. O efeito que dá identidade ao clássico Come as You Are é um chorus.

Uma boa opção de pedal chorus é o Boss CH-1 Super Chorus. Como é um BOSS, garantimos que tem grande qualidade e que é capaz de suportar uma enorme quantidade de abusos. Aliás, do caos que os Nirvana causavam em palco, os pedais de efeitos eram das poucas coisas que resistiam. 

Nem tudo era violência, no entanto. Não podemos esquecer a qualidade musical da banda, bem expressa quando atuaram em versão acústica para a MTV, numa das edições mais populares da série Unplugged, criada mais ou menos na mesma altura em que saiu Nevermind, e que definiu tanto o programa como a banda.

O que parece resistir ao tempo também é o apelo da figura de Kurt Cobain e a importância que a sua breve e trágica carreira teve. 30 anos depois, Nevermind continua a ser um dos álbuns mais importantes da história da música pelo que tinha - energia, irreverência e uma rebeldia que faltava à música popular da altura - e pelo que não era: uma mega produção polida cheia de glamour e estrelas de plástico. 

Se ficaram inspirados com a atitude dos anos 90, visitem a nossa loja online. Temos tudo o que precisam para serem irreverentes e originais com a vossa música. 



 

Publicado no dia 2021-11-09 Cordas 0 179

Deixar um comentárioDeixar uma resposta

Tem que ter a sessão iniciada para poder comentar este artigo.

Procurar no blog

Categorias do blog

Sem produtos

A ser calculado Portes de envio
0,00€ IVA
0,00€ Total

O preço incluí IVA

Pagar