Instrumentos Populares Portugueses por Região - Parte 3

Instrumentos Populares Portugueses por Região - Parte 3

Alentejo

A planície vai amolecendo as gentes à medida que o país se descontrai dos relevos montanhosos em direção ao sul. O calor e o isolamento não ajudam e, talvez por isso, haja uma solenidade no cantar, quer a solo quer em grupo.

 

O cante alentejano é Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO desde 2014, mas há uma tradição musical pautada por instrumentos musicais, como a flauta e o tamboril, na zona da raia, ou a pandeireta e o pandeiro, mais a norte.

 

A falta de urgência no decorrer dos dias ajudou a que as comunidades alentejanas pudessem demorar-se na contemplação das pequenas coisas, como podem ouvir na letra desta canção, acompanhada à viola campaniça.

 

O cante ao desafio e a viola campaniça estão a ser preservados pelo CVVCCI - Centro de Valorização da Viola Campaniça e do Cante de Improviso, provando que há quem ainda se disponibilize para preservar e continuar o seu folclore.

Algarve

O Algarve já se encosta ao mar e a agitação é outra. Os instrumentos de tuna são muito comuns, para cantigas e danças na praia, mas é o acordeão que dá cartas nesta região. A tradição de acordeonistas no Algarve está tão bem estabelecida que são já vários os campeões mundiais por estas bandas, que interpretam desde o corridinho a temas de outras influências e tradições. 

 

Hermenegildo Guerreiro, Luis Gama, Fábio Guerreiro - "Faro à vista" from MPAGDP on Vimeo.

Na serra, onde o pastoreio é comum, o instrumento em destaque é a flauta travessa, feita a partir de cana.

 

Açores

O arquipélago mágico tem instrumentos que traduzem o sentimento de quem está num pequeno paraíso mas que é também o último entreposto na fronteira atlântica portuguesa com o além mar. Dali para o outro lado é um pulinho e muitos foram os que deram esse passo para terras da América do Norte.

 

A saudade é o sentimento dominante, em todas as ilhas. Os instrumentos mais representativos são a viola da terra, oriunda da Ilha de São Miguel, que apresenta uma boca em forma de dois corações e a viola Terceirense, que se distingue pela boca redonda.

 

O som muito característico destas guitarras é criado pelas suas cinco ordens de cordas: as três mais agudas são duplas, afinadas em uníssono; as duas ordens mais graves são triplas e estão afinadas em oitava, com bordão. A afinação das ordens são, do agudo para o grave, Ré - Si - Sol - Ré - Lá.

 

Madeira

A ilha da Madeira gosta de dar bailinho e festa. A música é animada, feita para dançar. A rabeca ou o violino acompanham os cantores, suportados pelas violas de arame, o rajão, ou a braguinha, uma espécie de cavaquinho mas adaptado aos ares quase tropicais da ilha da Madeira. O que se quer é alegria e as gentes da Madeira têm-na de sobra.

 

Grupo Romarias Antigas do Rochão - "Brinco de oito" from MPAGDP on Vimeo.

 

E chegámos ao fim desta pequena viagem ao grande país que é o folclore de Portugal. Se quiserem descobrir mais sobre a música tradicional portuguesa, recomendamos o projecto A Música Portuguesa a Gostar dela Própria, onde fomos buscar alguns vídeos e o Folclore.PT- O Portal do Folclore Português, um excelente recurso para quem quer conhecer as ricas tradições das nossas regiões.

 

Se ficaram interessados em tocar música tradicional portuguesa, visitem a nossa loja. Temos um catálogo cheio de instrumentos tradicionais portugueses, fabricados por artesãos nacionais.

Compre em Portugal, apoie o comércio de instrumentos portugueses. 

 

Publicado no dia 2020-12-10 por salão musical de lisboa Atualidade 0 153

Deixar um comentárioDeixar uma resposta

Tem que ter a sessão iniciada para poder comentar este artigo.

Procurar no blog

Categorias do blog

Sem produtos

A ser calculado Portes de envio
0,00€ IVA
0,00€ Total

O preço incluí IVA

Pagar