As melhores músicas para guitarra clássica

As melhores músicas para guitarra clássica

Quem de vocês aprendeu guitarra clássica com os estudos de Fernando Sor? Os primeiros são fáceis mas, à medida que avançamos tornam-se cada vez mais interessantes. E fazem o que propõem, que é contribuir para o domínio completo da guitarra clássica.  

E há quem, sem ter pensado pegar numa guitarra para tocar música clássica, acabe por ter vontade de aprender peças ainda mais complicadas. Músicas desafiantes não faltam, pela técnica, pela construção musical, pelo que exige do executante na expressão de cada nota. Andrés Segovia - o mestre Andrés Segovia, desculpem - explica a versatilidade e riqueza deste instrumento.

Para terem uma ideia das grandes composições feitas para a guitarra clássica, escolhemos cinco, consideradas pela generalidade dos músicos como as melhores. Mas, se discordarem ou tiverem mais sugestões, deixem-nas nos comentários.



Dionisio Aguado - Etude in A Minor

Este é um dos 19 estudos escritos por Dionisio Aguado, compositor e um dos maiores guitarristas da sua época, para o seu livro "Nuevo Método para Guitarra"  publicado em 1843. Aguado publicou diversos exercícios para incluindo o primeiro livro onde se apresenta uma metodologia para a aprendizagem da guitarra. Era defensor do banquinho para apoiar o pé esquerdo, e desenvolveu muito a técnica da mão direita. Era muito amigo de Fernando Sor,  que escreveu uma obra à sua amizade.

Se quiserem podem descarregar a pauta deste estudo aqui.

Isaac Albeniz - Asturias

Também conhecida por Leyenda, esta é uma das primeiras peças que começar a tocar na nossa cabeça quando pensamos em guitarra clássica. Publicada em 1892 (não editada porque não haviam discos ainda), era o prelúdio de uma peça intitulada Chants d’Espagne e foi incorporada numa versão alongada da Suite Espanhola de Albeniz, dois anos após a sua morte.

Esta peça, fortemente inspirada no flamenco, tem diferentes secções que exploram os vários ritmos deste género, que progriedem e se encaixam na perfeição. Isaac Albenizacabou assim por ficar com o seu nome fortemente associado à guitarra clássica, embora nunca tenha composto especificamente para este instrumento. Asturias (Leyenda) era originalmente para ser tocada ao… piano.

Heitor Villa-Lobos - Mazurka Chôro

A música brasileira não seria a mesma sem este compositor, nascido de origens humildes no Bairro das Laranjeiras, no Rio De Janeiro. Era um autodidata e escreveu a sua primeira música para guitarra aos 6 anos de idade, e rapidamente se interessou por Bach, ao mesmo tempo que aprendia os ritmos da música tradicional do Nordeste. Não se limitou à guitarra, aprendendo também saxofone e clarinete.

Com a morte do pai aos 12 anos,  passou por dificuldades mas nunca deixou a música, tendo-se tornado no compositor que levou o jeito brasileiro para a música erudita, de forma brilhante. E a mãe ainda queria que ele fosse para Medicina. Achamos que Villa-Lobos tomou a decisão correcta.

Agustin Barrios-Mangoré - La Catedral

Esta belíssima peça foi escrita por um autodidata também, que nunca recebeu aulas formais. Agustin Barrios nasceu nos finais do século XIX no Paraguai e, apesar de ser muito apreciado pelos seus pares, a sua música apenas ganha relevo e desperta o interesse mundial nos anos 70 do século XX. La Catedral, escrita em 1921 foi apenas tocada na sua totalidade pelo autor em 1938. Recomendamos que pesquisem a história de vida de Agustin Barrios-Mangoré, porque vale a pena descobrir o seu amor à música e capacidade de superação deste homem (há um documentário).



Francisco Tárrega - Recuerdos de la Alhambra

Outra das obras icónicas para guitarra clássica, a Recuerdos de Alhambra é provavelmente a peça mais conhecida de Francisco Tárrega, um dos maiores compositores para a guitarra clássica de todos os tempos. Composta em 1896 em Granada pelo compositor espanhol, é um desafio enorme só ao alcance dos melhores. Ouçam como a mesma nota continua a ser tocada rapidamente por três dedos da mão direita, mantendo a melodia enquanto ouvimos as variações no dedilhado por trás. Parece simples, mas não é, e os menos avisados pensam que são duas guitarras e não uma.

Tárrega com esta e outras obras estabeleceu o cânone para a guitarra clássica no século XX.  Ali Arango, vencedor do Prémio Segovia 2017, toca esta peça numa guitarra Alhambra.


Cheios de vontade de começar a dedilhar? Vejam as nossas guitarras clássicas, temos grandes marcas a excelentes preços.

Publicado no dia 2018-10-29 por Salão Musical de Lisboa Cordas 0 149

Deixar um comentárioDeixar uma resposta

Tem que ter a sessão iniciada para poder comentar este artigo.

Procurar no blog

Categorias do blog

Sem produtos

A ser calculado Portes de envio
0,00€ IVA
0,00€ Total

O preço incluí IVA

Pagar