Mestres da Bossa Nova

Mestres da Bossa Nova

A Bossa Nova é um dos estilos musicais mais influentes e populares do século XX. Com o recente desaparecimento de João Gilberto, um dos fundadores do género, decidimos destacar os três nomes que transformaram a música popular brasileira e a elevaram a um fenómeno mundial.

Mas o que é bossa nova?

A Bossa Nova surgiu no final da década de 1950 quando grupo de músicos de classe média do sul do Rio de Janeiro decidiu cruzar o samba com o jazz. Como o fizeram? Pegaram no padrão rítmico do samba, e incorporaram acordes de jazz nas suas progressões harmónicas. Depois, toquem ao violão (guitarra acústica com cordas de nylon) com um pouco de nostalgia relutante, acompanhem à voz como se fossem o Chet Baker, numa letra de grande valor lírico e poético e: “Chega de Saudade”. Adicionar um toque tropical.

Esta é considerada a primeira canção do estilo bossa nova, e uma das que captura o género na perfeição. O seu criador é a primeira figura que vamos destacar.

João Gilberto

O baiano João Gilberto desde muito cedo percebeu que queria fazer da música a sua vida. Aos 14 anos começa a tocar violão e aos 18 já cantava na Rádio. Entre arranques e falhanços numa vida entre a Baía e o Rio de Janeiro, João Gilberto passou a década de 1950 a desenvolver a sua ideia musical e, aos 26 anos, as amizades que fez na Cidade Maravilhosa mostraram-se ser as certas.

No final da década,Gilberto conhece Tom Jobim que lhe mostra uma canção que encaixa perfeitamente no seu estilo peculiar de tocar e cantar. A Bossa Nova, nascida na Bahia, materializa-se no Rio de Janeiro quando esse grupo de músicos se junta e segue a cartilha do jovem baiano. E, o resto é História.


João Gilberto faleceu a 6 de Julho de 2019, mas o seu legado é eterno.

Antônio Carlos Jobim

Tom Jobim é considerado por muitos o maior expoente da música brasileira. Teve educação musical formal mas chegou a ponderar ser arquitecto, fazendo um ano de faculdade. Desistiu para se dedicar ao piano, tocando em bares, fazendo arranjos e transcrições para músicos e editoras.

A sua paixão era a composição, e gravou na década de 1950 diversas canções com grande sucesso, mas tudo muda com o seu encontro com João Gilberto. Os arranjos de Jobim foram fundamentais para alicerçar tudo o que passou a ser considerado como bossa nova. Com outro dos seus cúmplice musicais, Vinicius de Moraes, criou a intemporal “Garota de Ipanema”, provavelmente a mais famosa das canções da bossa nova. Olha que coisa mais linda.

Tom Jobim conseguiu fazer parecer simples o que era complexo e profundo, para que a sua música fosse facilmente cantada por todos. E conseguiu.

Vinicius de Moraes

Se poesia é a música das palavras, Vinicius de Moraes é um dos maiores responsáveis pela musicalidade da bossa nova, já que é autor das letras mais conhecidas do género. Escritor, dramaturgo, poeta, Vinicius já era um autor respeitado, com várias publicações editadas, quando começa a escrever música com Tom Jobim.

Os dois escreveram clássicos como "A Felicidade", "Chega de Saudade", "Eu sei que vou te amar", "Garota de Ipanema", "Insensatez". A sua linguagem simples mas muito sensual e que utilizava a sonoridade do Português do Brasil em completo benefício da melodia, marcou o estilo musical de forma profunda, assim como deu visibilidade à poesia brasileira e à língua portuguesa.

Vinicius de Moraes colaborou com diversos nomes importantes da música brasileira até à sua morte em 1980. Mas o seu legado, em composições, letras e, muito particularmente, na forma como via o mundo e transformava essa visão em poemas que pediam para ser cantados, sem a capa da intelectualidade mas diretos ao coração.

Um dos grandes exemplos é este Samba da Benção, desta vez em parceria com Baden Powell, em que temos mais umas ideias para a receita de como fazer bossa nova.

A lista de músicos e poetas que levaram este estilo musical mais além é enorme e não se limita ao Brasil: o americano Stan Getz pegou nesta linguagem para a levar ao mundo, e até Frank Sinatra cantou a Garota de Ipanema.

A bossa nova foi o estilo que elevou a cultura brasileira a um patamar superior, tanto pela sua qualidade musical, como pela sensibilidade poética que exibia. É uma das fases mais bonitas da história da música popular.

Descubram mais um pouco sobre a história da bossa nova pela voz de outros intervenientes neste documentário que, apesar de deixar alguns nomes importantes de fora, tem histórias muito interessantes. 

Se ficaram inspirados para pegar num violão e tocar músicas sobre o amor e o desamor à beira mar, passem pelo Salão Musical de Lisboa, temos as violas certas para acordes complexos que soam a simples. Ou então, vejam os nossos pianos, e dêem um pouco de samba à vossa veia jazzística. Saravá.

Publicado no dia 2019-08-21 por Salão Musical de Lisboa Atualidade 0 425

Deixar um comentárioDeixar uma resposta

Tem que ter a sessão iniciada para poder comentar este artigo.

Procurar no blog

Categorias do blog

Sem produtos

A ser calculado Portes de envio
0,00€ IVA
0,00€ Total

O preço incluí IVA

Pagar