5 razões para tocar bateria

5 razões para tocar bateria

Todos temos um ritmo que nos anima, no compasso binário em que bate o coração. É algo tão natural que facilmente nos sai das mãos para as superfícies mais próximas. Os instrumentos de percussão são os mais antigos do mundo e devem ter surgido ainda antes de se pensar em voz para acompanhar.

Este instinto primordial de marcar o tempo revela-se cedo: quem é que nunca em miúdo fez uma bateria de tachos e panelas? Foi provavelmente a primeira vez que provocaram um motim de uma mãe só e, para muitos, foi o fim da sua carreira musical. Mas ainda estão a tempo de pegar nas baquetas ou de dar aos vossos filhos a possibilidade de expressarem toda aquela energia numa bateria a sério.

Se têm dúvidas, aqui ficam algumas razões para começarem a tocar bateria (ou qualquer outro instrumento de percussão).

Benefícios físicos

Se há instrumento que exige memória física e uma abstração completa do que se está a fazer é a bateria. Tentem coordenar um ritmo básico alternando pés e mãos, e depois falamos. Também nos ajuda a ter uma maior noção de tempo e de dinâmica. Tudo isto beneficia não só a nossa capacidade intelectual e de concentração, como parece que ajuda a reforçar o nosso sistema imunitário assim como a condição física.

O que é natural, pois a bateria é capaz de ser o melhor instrumento para cardio à face da terra. Vejam só o início de concerto dos Nine Inch Nails, com o Josh Freese a fazer uma entrada verdadeiramente olímpica de domínio, auto-controlo e resistência.

Benefícios Sociais

Ser baterista é pertencer a uma espécie rara. Guitarristas há muitos, mas homens das baquetas, nem por isso. E se tocarem bem, ainda mais raros são. E, por alguma razão, muitos acumulam funções como humoristas da banda, talvez por passarem tanto tempo lá atrás à espera que a malta acerte com o tom e têm mais tempo para inventar piadas. Nada disso, a verdade, é que um bom baterista aprende a ler os sinais não verbais dos outros para perceber a dinâmica e a adivinhar a intensidade com que tem que tocar.

E aprendem a ser mais tolerantes. Um bom baterista sabe tocar ritmos de todo o mundo, percebe a sua complexidade e riqueza culturais, e comunica musicalmente de forma mais imediata com outros músicos de outras origens. Basta haver um batuque certo e é só ir atrás.

Tocar bateria também dá autoconfiança, porque é algo complexo mas que se pode dividir em várias partes que, com prática e repetição, se tornam acessíveis. E, por causa do volume natural do instrumento, não será o mais indicado para envergonhados, é preciso que se bata com força e decisão para a batida sair bem.

Benefícios intelectuais

Os bateristas são os matemáticos da banda, são eles que fazem as contas todas de dividir dos compassos, e as desmultiplicações nos breaks. Se não tiverem um baterista bom de contas, nem uma pausa em condições conseguem fazer. Esta necessidade de estar permanentemente a contar tempos e compassos e a colocar o elemento certo no tempo certo, ajuda - de acordo com um estudo - a desenvolver um pensamento matemático acima da média.

Já falámos da capacidade de concentração, mas tocar bateria ajuda a desenvolver uma capacidade de abstração funcional, que os psicólogos desportivos chamam de “Zona”, em que se realizam tarefas complexas sem ser preciso pensar muito nelas.

Benefícios psicológicos

É excelente para o stress. Acreditem, 15 minutos de bateria por dia dá-vos uma alma nova. É melhor que partir louça de cozinha ou correr 5 km. A música tem um poder reparador, e acompanhar as músicas de que gostamos em elevadas BPMs (batidas por minuto) é um gozo fenomenal. É tocar e deixar as endorfinas fluir. E todos os efeitos anteriores ajudam a que tenhamos uma psique mais equilibrada, o que não explica que haja tanto baterista louco por aí mas, se calhar, eles é que estão bem.

 

Benefícios musicais

Um bom baterista tem sempre procura. Para ser bom, tem de ser versátil, para poder tocar com músicos de estilos diferentes e, quanto mais largos forem os horizontes, mais facilidade terá em encontrar esses músicos. Um baterista não toca bateria, toca tudo o que for instrumento de percussão, desde djembés a mesas de café, portanto, está sempre pronto a animar uma festa.

Como podem ver, há várias boas razões para começarem a tocar bateria, mas se souberem mais, partilhem-nas connosco na caixa de comentários. Tocar bateria faz bem, nem que seja só porque é dos instrumentos mais divertidos de se tocar e que pode ser aprendido em qualquer idade. Os únicos requisitos são saber contar e ouvir os outros.

Se quiserem iniciar-se no fantástico mundo das baquetas, façam-nos uma visita aqui no Salão, temos baterias acústicas, digitais, e outros instrumentos de percussão, para todos os níveis e bolsas.

Publicado no dia 2018-02-23 por Salão Musical de Lisboa Percussão 0 267
Tag: bateria

Deixar um comentárioDeixar uma resposta

Tem que ter a sessão iniciada para poder comentar este artigo.

Procurar no blog

Categorias do blog

Sem produtos

A ser calculado Portes de envio
0,00€ IVA
0,00€ Total

O preço incluí IVA

Pagar