Instrumentos musicais para tocar flamenco: guitarra, castanholas e cajón

Instrumentos musicais para tocar flamenco: guitarra, castanholas e cajón

Foto: JamesHose / Pixabay

O flamenco é um mais do que um estilo musical, é o símbolo da cultura espanhola. Venham conhecer um pouco das suas raízes e história em menos tempo do que conseguem dizer “olé!”

O que é o flamenco?

História do flamenco

Guitarra de flamenco

Guitarra flamenco vs Guitarra clássica

Cajon

Castanholas

Outros instrumentos no flamenco

O que é o flamenco?

Flamenco é uma manifestação artística que engloba música, canto e dança, típica da região da Andaluzia. Com raízes medievais, o flamenco tem evoluído ao longo dos séculos até atingir a sua forma moderna, que incorpora instrumentos de outras origens.

Com origens nas tradições musicais judaica, cigana e árabe, a sonoridade do flamenco é diferente da música medieval do Centro e Norte da Europa. As escalas são mais picantes, e o ritmo mais intenso.

O flamenco parece ser sobre questões de vida ou de morte e, de certa forma, esse é o cerne da sua personalidade. Como judeus, ciganos e árabes eram povos perseguidos nas sociedades predominantemente católicas do Sul da Europa, a música tornou-se uma manifestação da sua identidade e dos seus problemas.

Segundo este estudo dedicado à guitarra e formas musicais do flamenco, as “principais escalas utilizadas no flamenco são as escalas do modo jônico e frígio”, que surgem por influência moçárabe.

História do Flamenco

Desde a época da Inquisição no século XV até ao direito à cidadania para os ciganos em Espanha no século XVII, esta música andou escondida. Mas, com a chegada das classes nobres francesas à corte espanhola graças à ligação com os Bourbon franceses, no século XVIII, transformou-se numa bandeira de revolta das classes mais baixas.

Na época, o flamenco era principalmente cantado, especialmente em casamentos, batizados e outras celebrações comunitárias. Na segunda metade do século XIX, a guitarra junta-se à voz e surgem os primeiros cafés de flamenco, os Cafés Cantantes, onde o flamenco era cantado para um público interessado e não como animação de festa.

No século XX, o flamenco instituiu-se graças ao interesse de músicos com formação clássica na guitarra que estabeleceram um método. Rafael Marín, em 1902, publica o primeiro método de guitarra flamenca, oficializando o estilo e a forma de tocar esta música particular.

Até aos dias de hoje, o flamenco cruzou-se com diversos géneros e incorporou novos instrumentos, mas mantém sempre na sua génese a voz dos oprimidos e perseguidos, a quem o sangue corre feroz e à flor da pele.

A sua importância cultural é tão grande que está classificado como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), desde 2010.

Guitarra de flamenco

A melodia e o ritmo do flamenco estão bem definidos porque, durante séculos, era apenas cantado e/ou dançado. O surgimento de outros instrumentos vieram dar outro enquadramento, especialmente com a incorporação da guitarra, que ganhou também uma identidade própria dentro deste género musical.

A guitarra surge no flamenco com maior frequência a partir do século XIX, por volta da mesma altura em que a guitarra de seis cordas ganha a sua forma atual. O interesse dos guitarristas académicos, que procuravam incorporar estilos populares na música mais erudita que tocavam, encontraram no flamenco um filão musical em que podiam explorar toda a sua capacidade expressiva.

Rafael Marin, um músico apaixonado pela música clássica e pelo flamenco, publica no início do século XX o seu Metodo De Guitarra (flamenco) por musica y cifra (pauta e tablatura), onde estabelece os princípios musicais deste estilo para a guitarra.

A evolução da guitarra de flamenco foi tal que hoje em dia é um elemento central da sua identidade. Para isso contribuíram Ramón Montoya, Paco De Lucía e, mais tarde, músicos como Tomatito e Vicente Amigo.

Guitarra flamenco vs Guitarra clássica

A guitarra de flamenco é diferente da guitarra clássica em vários dos seus componentes, embora sejam muito semelhantes à primeira vista. O elemento que as distingue imediatamente é a madeira do tampo, de tonalidade mais clara nos modelos tradicionais, chamados de “Blanca”.

Materiais: a guitarra de flamenco é construída com madeiras diferentes da guitarra clássica. A combinação mais tradicional de madeiras é abeto para o tampo, cipreste para o fundo e ilhargas, cedro para o braço e ébano para a escala.

Há diversas combinações de madeiras em diversos instrumentos de diferentes marcas e gamas, mas todos contribuem para um som claro e de grande ataque.

Construção: o tampo da guitarra de flamenco é mais fino, para maior ressonância. É mais leve que a guitarra clássica e tem uma caixa um pouco mais estreita.

A ponte é mais baixa, para uma ação mais baixa e a escala é um pouco maior. Devido à característica percussiva do flamenco, muitas vezes usada como técnica musical, algumas guitarras de flamenco têm um guarda-unhas, chamado de “golpeador”.

O encordoamento é feito com cordas de maior tensão.

Guitarra
flamencoGuitarras flamenco no Salão Musical

Cajon

O cajón é uma aquisição relativamente recente no flamenco. Apareceu nos anos de 1970 para marcar o ritmo graças a Paco de Lucia. Tornou-se uma presença tão assídua no flamenco que há quem pense que se trata de um instrumento de origem espanhola.

Na realidade, o cajón é um instrumento do Peru, que parece ter origem nos tambores africanos levados pelos escravos para a América do Sul, durante o século XVII.

Seria uma caixa de transporte convertida em instrumento de percussão, que se espalhou rapidamente para outros países da América Latina, como Cuba.

A construção do cajón é simples: é uma caixa rectangular tocada com as mãos por um músico que se senta em cima dela. Mas os seus desenvolvimentos técnicos, particularmente graças à influência do flamenco, incluem redes (como nas tarolas) que lhe dão outro timbre e ressonância, e uma maior variedade tímbrica.

Leiam Viajar a toque de cajón no Blog do Salão Musical.

Cajón Cajóns no Salão Musical

Castanholas

As castanholas são um instrumento musical de percussão, constituído por duas conchas em madeira, que se tocam segurando na palma da mão, fazendo-as chocar uma contra a outra.

É um dos maiores símbolos da música espanhola e um elemento rítmico essencial do flamenco. Segundo a tradição, o ritmo deve iniciar-se com a mão direita, cortando a última nota com o som da castanhola esquerda.

Outra forma de acompanhamento percussivo típico do flamenco são as palmas, usadas ​​para acentuar as batidas importantes da música ou para manter o ritmo rápido. A sua intensidade varia de acordo com a intensidade da música.

CastanholasCastanholas no Salão Musical

Outros instrumentos no flamenco

O flamenco, ao fundir-se com outras expressões musicais, incorporou outros instrumentos que não fazem parte da tradição - que é algo que está sempre em evolução - mas que vieram emprestar-lhe novos sons.

A voz é um elemento essencial no flamenco, mas muitas vezes é acompanhada ou substituída por instrumentos melódicos com a flauta ou violino, ou mesmo o violoncelo.

O baixo quer na versão elétrica quer acústica, também é muitas vezes parte dos grupos de flamenco modernos. Com em tantos outros estilos tradicionais, há sempre novas interpretações e adições que dão ao flamenco outra dimensão e uma nova vida.

O Salão Musical tem os instrumentos que precisam para tocar o flamenco mais tradicional ou para cruzá-lo com sonoridades mais modernas. Visitem a nossa loja online.

Publicado no dia 2023-01-23 por Salão Musical de Lisboa Atualidade, Cordas, Percussão 0 153

Deixar um comentárioDeixar uma resposta

Tem que ter a sessão iniciada para poder comentar este artigo.

Sem produtos

A ser calculado Portes de envio
0,00€ IVA
0,00€ Total

O preço incluí IVA

Pagar