O que é um oboé?

O que é um oboé?

Pouca gente sabe o que é um oboé, que importância tem na música e menos devem saber que, sem ele, a orquestra não afinava. Mais ou menos...

O oboé é um instrumento de sopro, de palheta dupla, das família das madeiras. É tradicionalmente construído em ébano ou jacarandá, mas novas técnicas de fabrico permitem que instrumentos mais modernos sejam fabricados em materiais plásticos e compósitos, que mantêm o som original mas garantem maior resistência a variações de humidade e temperatura.  

É tocado com um sistema de chaves, e quem já experimentou tocar um, sabe que não é fácil de dominar. A técnica de respiração é exigente, devido ao espaço exíguo entre as canas da palheta, que exige um sopro constante e alta pressão. Mas o esforço vale a pena pelo som doce doce e harmonicamente rico do oboé. E ligeiramente nasalado, que é por aí que às vezes se distingue de outros sopros de madeira.

É um instrumento com uma extensão de notas menor que outros instrumentos de sopro, mas tem uma enorme dinâmica expressiva. Nas mãos certas pode passar de melancólico a vivo e alegre, passando de timbres quentes a mais agressivos e brilhantes.

O oboé surgiu em França, no século XVII e descende da charamela, um instrumento de sopro fisicamente semelhante - longo, ligeiramente cónico e de palheta dupla mas com buracos para dedilhação - mas rapidamente a substituiu e ganhou espaço nas orquestras e nas obras de Bach, Mozart, Schumann. Vivaldi, Strauss e Albinoni dedicaram-lhe mesmo concertos.

Quem não sabe o que é um oboé, pelo menos lembra-se de já ter ouvido o nome. É estranho e tem uma musicalidade própria. Vem da transposição fonética do nome original em francês, haut bois, que se ouve como oboá agora, mas no século XVII se pronunciava oboé. Não são só os instrumentos que evoluem na sonoridade ao longo dos tempos, a língua também.

Uma das funções que o oboé assumiu nas orquestras foi de ser a referência de afinação para os restantes instrumentos. Bem, para as cordas, na realidade, que desafinam facilmente. Há duas escolas de pensamento sobre esta responsabilidade:

  • uma defende que o oboé é a referência devido à sua estabilidade, e o Lá sai na frequência certa (440hz ou 442hz). Além disso, está em orquestras há tanto tempo que mantém algum estatuto de antiguidade, logo, deve ser a referência;

  • outra, defende que, por causa de o instrumento ser em madeira e a sua afinação variar de acordo com as condições de humidade e temperatura, mais valia afinarem todos por ele para não soar mal,e  a tradição manteve-se.

Tradição ou compromisso, a verdade é que mantém esse estatuto ainda hoje, como podem ver neste curto vídeo. A primeira nota sai de um oboé, e os restantes instrumentos vão atrás.

No Salão Musical de Lisboa temos oboés para que possam afinar orquestras e executar peças, das barrocas às modernas. Façam-nos uma visita.

Publicado no dia 2019-02-08 por Salão Musical de Lisboa Sopro 0 446

Deixar um comentárioDeixar uma resposta

Tem que ter a sessão iniciada para poder comentar este artigo.

Procurar no blog

Categorias do blog

Sem produtos

A ser calculado Portes de envio
0,00€ IVA
0,00€ Total

O preço incluí IVA

Pagar