Cinco harmónicas para tocar blues

Cinco harmónicas para tocar blues

O blues é um dos géneros musicais onde a harmónica foi tocada por músicos fantásticos como Sonny Terry, Paul Butterfield, Sonny Boy Williamson ou Little Walter. Ouçam esta playlist enquanto lêem este artigo para entrarem no espírito. 

Portátil, com volume suficiente para acompanhar instrumentos acústicos e com uma expressividade comparável à voz humana, a harmónica é um instrumento que todos os músicos deveriam ter na sua coleção. 

Se ainda não têm uma - se bem que é de bom tom ter várias -  temos cinco (e mais algumas) sugestões para poderem tocar o blues com alma e um grande som. 

Como escolher uma harmónica de blues

As harmónicas de blues são harmónicas diatónicas que respeitam apenas uma tonalidade.  Existem diversos modelos a preços muito acessíveis que podem ser tocados em vários níveis de exigência e capacidade técnica do músico. Para escolher uma harmónica devem ter em atenção três pontos fundamentais:

  • Tonalidade: como nem todos os blues são em Mi, só uma harmónica diatónica pode ser pouco para acompanhar outros músicos. Normalmente, para acompanhar blues em Sol usa-se uma harmónica em Dó, que é sempre a primeira tonalidade que se compra, até porque é bastante versátil e pode acompanhar outros estilos como o folk e rock. 

A ordem de tonalidades mais natural para se montar uma coleção de harmónicas é C, A, G, D, E, F, Bb, Eb, ou Dó, Lá, Sol, Ré, Mi, Fá, Si bemol e Mi bemol. Se quiserem podem também investir num pack de sete Harmónicas de Blues de uma vez.

  • Corpo: acima de tudo, o corpo da harmónica deve ser confortável para segurar e tocar durante muito tempo. Os modelos mais baratos têm pente em plástico, que é muito prático pois não dilata ou encolhe com as variações de temperatura e humidade. Os de madeira têm outro tom e, se forem de qualidade, durarão muito mais tempo.

  • Palhetas: a harmónica funciona com a passagem de ar por um conjunto de palhetas que são feitas em materiais diferentes, com características particulares. O mais comum é o cobre, que oferece o som a que estamos habituados a ouvir e é muito resistente. As palhetas de bronze são mais maleáveis que facilitam a aplicação da técnica de bending.  As de aço inoxidável são mais raras mas têm uma boa ressonância e duram mais tempo.  

Outro fator, que se aplica a qualquer instrumento, é saber qual é o vosso objetivo. As harmónicas são instrumentos que não custam muito dinheiro e é muito fácil comprar um instrumento para a vida com pouco investimento. A questão é escolher a que melhor se adequa a vocês.

Para vos ajudar nessa escolha, selecionámos cinco modelos que podem ajudar-vos a encontrar a vossa harmónica. 

Suzuki MR-200C Harpmaster 

A Suzuki MR-200C Harpmaster é uma harmónica diatónica de 20 vozes, na tonalidade de Dó. Tem pente em ABS, palhetas em bronze e as coberturas em aço inoxidável dão-lhe um aspeto tradicional.

Pelo preço e pelas suas características é um modelo ideal para principiantes e para quem quer levar sempre uma harmónica consigo sem grandes preocupações e com a certeza que tem um instrumento com um bom som, para qualquer ocasião.

Hohner Blues Harp


Harmónica Hohner Blues Harp em Mi 532 20 E

A Hohner é a marca de referência no fabrico de harmónicas, e a Blues Harp faz o que diz na sua belíssima tampa. A Hohner Blues Harp tem um design funcional que combina um pente de madeira, capas altas sem orifícios laterais e placas de junco de alta qualidade para dar ao instrumento o seu típico som bluesy

É um modelo imensamente popular entre os músicos principiantes e de nível intermédio, pois o 'bending' é fácil de obter. 

Hohner Marine Band

As Marine Band 1896 são a referência das harmónicas de blues. 

Tocada por figuras lendárias como Little Walter, Paul Butterfield e Bob Dylan, estas harmónicas continuam a ser a melhor escolha para os profissionais de topo, bem como para músicos principiantes de todo o mundo.

Baseando-se em mais de um século de artesanato alemão tradicional, a Hohner Marine Band harmónica é universalmente reconhecida pelo seu tom completo, alcance musical e pelo seu pente de madeira. Se ouvirem uma harmónica a tocar blues, provavelmente é uma Marine Band.

A Crossover Marine Band é uma série de qualidade topo de gama para  profissionais. Muito polivalente, pode ser usada em blues, rock, jazz, soul ou funk modernos. 

 

Lee Oskar Major Diatonic

Lee Oskar tocou nos War, uma das grandes bandas do funk/jazz do século XX e teve uma carreira diversa nas colaborações com músicos de todas as origens e estilos musicais, levando sempre os limites da harmónica um pouco mais além do esperado

As harmónicas Lee Oskar Major Diatonic são  harmónicas para tocar blues e não só. Podem ser tocadas na 1ª  posição (straight harp) para folk ou country, ou na 2ª posição (Cross Harp) para blues, rock, pop ou country. 

Lee Oskar Tombo Folk Blues 

A Lee Oskar Tombo Folk Blues Mark II tem um pente em maple - ou bordo - japonês, com capas em aço inox reforçado. O som da Tombo Folk Blues é potente, clássico, com uma tonalidade seca e muito distinta, com dimensões ideais para tocar com microfone, graças ao seu corpo pequeno e compacto. 

O design é baseado nas harmónicas clássicas dedicadas ao Folk e Blues.

Outros modelos divertidos de harmónicas

Se ainda não têm a certeza se é fundamental terem uma harmónica na vossa vida, podem sempre começar por modelos divertidos como a mini harmónica Hohner 125 ou as coloridas Hohner 510 Happy Colors. Ou a Little Lady, que acumula outras funções práticas.

Seja qual for a vossa escolha, façam-a com o Salão Musical. A nossa loja online está sempre aberta para vos receber.  

Publicado no dia 2021-12-21 Sopro 0 198

Deixar um comentárioDeixar uma resposta

Tem que ter a sessão iniciada para poder comentar este artigo.

Procurar no blog

Categorias do blog

Sem produtos

A ser calculado Portes de envio
0,00€ IVA
0,00€ Total

O preço incluí IVA

Pagar