Músicas fáceis para tocar no clarinete

Músicas fáceis para tocar no clarinete

Foto: Alexander Grey / Unsplash

O clarinete é um dos instrumentos de sopro mais populares entre jovens músicos, pelo seu som doce e por ser um dos instrumentos de sopro mais fáceis de aprender a tocar. Está presente em várias tradições e géneros musicais, das mais diversas origens, o que demonstra a sua versatilidade.

Se estão a aprender a tocar, vamos sugerir sete peças e canções bem conhecidas muito acessíveis, para descobrir o potencial do clarinete e também o vosso, como clarinetistas.

O que é o clarinete?

Sete músicas fáceis para tocar no clarinete

Ave Maria

Adagio

Lago dos Cisnes

When The Saints Go Marching In

Canon em Ré

Amazing Grace

Pantera Cor de Rosa

Notas finais

O que é o clarinete?

O clarinete é um instrumento de sopro que descende da flauta. Surge pela primeira vez na sua forma moderna na Nuremberga do século XVII, em pleno período Barroco, pela mão da família Denner. É uma evolução de outro instrumento, o chalumeau ou charamela, um instrumento de palheta muito em voga na época.

O som do chalumeau era mais agradável do que o do oboé, mas as suas limitações na sua extensão levaram a algumas alterações, para que passasse de uma oitava para uma oitava e meia (12ª).

O clarinete, ainda numa versão inicial, rapidamente chamou a atenção de compositores como Vivaldi e Haendel, tendo chegado também a Bach, que também compôs algumas peças para este instrumento.

Leiam “A História do Clarinete” - Blog do Salão Musical

Sete músicas fáceis para tocar no clarinete

Dizer que uma música é fácil de tocar não é correto. Todas as músicas são difíceis e fáceis ao mesmo tempo, depende sempre da dedicação do músico. Este conjunto de temas é diversificado no estilo e na idade, se bem que todos têm melodias intemporais.

Acima de tudo, são divertidos de tocar e um bom princípio para aplicar e desenvolver as técnicas base do clarinete. Vamos à lista.

Ave Maria

O clássico intemporal Ave Maria tem mais do que uma origem: Charles Gounod compôs a peça em 1852, inspirado pelo Prelúdio e Fuga em Dó maior de Bach (BWV 846), acrescentou o texto da oração católica Ave Maria.

Esta prática de usar a obra de outros compositores para criar uma nova (sem ser plágio) é prática comum há séculos e no século XX vimos isso no jazz, no blues e depois no rock. Bach foi sempre um dos compositores favoritos de outros músicos para desenvolverem as suas próprias composições. No caso de Ave Maria, Gounod criou uma peça que é celebrada até hoje como uma das obras mais importantes e populares do período clássico.

Esta versão está num nível de dificuldade bastante acessível aos iniciantes no clarinete, e é garantia de deixar o público sem fôlego, assim que o instrumentista aprender a dominar a respiração desta peça.

Adagio

Uma das mais famosas e emocionantes criações musicais de sempre, o Adagio em Sol menor para órgão e cordas é baseado em fragmentos de composições do compositor barroco Tomaso Albinoni, publicadas em 1958 por Remo Giazotto.

Este esforço de Giazotto deu a Albinoni um lugar merecido no panteão musical, já que era um músico um pouco esquecido. É uma das peças mais usadas em filmes e anúncios pelo seu poder emocional, e enorme popularidade. Quem é que nunca ouviu este tema?

A melodia simples do Adágio é ideal para soltar a emoção e desenvolver a expressão do clarinetista.

Lago dos Cisnes

O Lago dos Cisnes é um bailado de Tchaikovsky que estreou em 1877 no Teatro Bolshoi, em Moscovo. É uma das obras mais famosas de sempre, e um dos favoritos de quase todas as companhias de balé do mundo, que o incluem no seu repertório base.

O Lago dos Cisnes, conta a história de Odette, uma jovem princesa transformada em cisne por um feiticeiro. Não vamos dar spoilers, mas podemos dizer que O Lago dos Cisnes está cheio de magia e é uma das histórias mais populares de sempre.

Tchaikovsky desenvolve o enredo do bailado com melodias encantadoras, deixando-nos tão enfeitiçados como Odette. Mas para tocar o tema imortal do Lago dos Cisnes não é preciso ser mágico, apenas persistente.

When The Saints Go Marching In

Uma das obras de origem popular mais populares de sempre, When The Saints Go Marching In é um standard da música nascida em Nova Orleães, nos Estados Unidos. É impossível visitar esta cidade e não ouvir o Saints, na rua ou num bar, pelo menos uma vez.

Foi tocada por todos os músicos de jazz ao longo do último século, fazendo parte do repertório clássico deste estilo. As versões mais famosas pertencem a Louis Armstrong, que ao longo da sua carreira foi revisitando esta melodia inconfundível.

É, sem dúvida, uma peça excelente para quem está a começar no clarinete. É ideal para começar a arpejar progressões de blues, usando a escala maior de Dó até ao intervalo de quinta (Sol). Cinco notas, três acordes.

Canon em Ré

Esta famosíssima peça de Johann Pachelbel compete com as peças de Bach pela sua reutilização e com o Adagio de Albinoni pela sua popularidade. É uma daquelas peças essenciais na formação de qualquer músico, clarinetistas incluídos.

A sua progressão harmónica - Ré, Lá, Si m, Fá# m, Sol, Ré, Sol, Lá (ou I - V- vi - iii- IV - I - IV -V) - está presente em tanta música pop que é impossível nunca a terem ouvido. Este vídeo dá 21 exemplos disso.

Esta progressão permite aplicar, para além da melodia original, a melodia de qualquer um dos outros temas que a usam. É uma fonte inesgotável de conceitos teóricos e aplicações musicais, desde escalas a noções de improvisação.

É também um cliché com imensa piada, é verdade, mas que já se esgotou. Mas também é essencial para aumentar o vocabulário musical de qualquer músico.

Amazing Grace

Amazing Grace é, literalmente, um hino. Um hino cristão, para ser mais exacto mas, como acontece tantas vezes com a magia da música, é uma peça que toca no coração de toda a gente.

É por isso que é também uma das melodias mais populares desta lista, sendo uma das canções mais gravadas de sempre. E uma das mais antigas também: foi publicada (antigamente não se lançavam discos, publicavam-se pautas) em 1779. A letra foi escrita em 1772, pelo poeta inglês e clérigo anglicano John Newton.

A melodia para clarinete é bastante simples. O andamento é lento, o que ajuda nas transições e até a incluir alguns floreados. É também uma peça longa, o que ajuda a desenvolver a resistência e a memória musical.

Pantera Cor de Rosa

O tema do filme Pantera Cor de Rosa foi composto por Henry Mancini em 1963. É uma das peças musicais mais divertidas e desconcertantes para os músicos iniciados, e é também um dos mais inconfundíveis.

Escrito para flauta, não é um tema fácil, mas a sua popularidade levou à simplificação e transposição para instrumentistas iniciantes. É ideal para melhorar a embocadura e a respiração. E é também um tema que arranca automaticamente um sorriso de quem estiver a ouvir.

Notas finais

O clarinete é um instrumento de sopro excelente para se iniciarem no mundo da música. Podem tocar qualquer estilo musical, de qualquer época, e desenvolver um som de qualidade, o que é sempre bom para a motivação de quem está a aprender.

Qualquer uma destas peças é um bom princípio para desfrutarem da execução deste instrumento tão versátil e tão querido por tantos músicos.

E não é dos instrumentos mais caros que podem escolher para a vossa iniciação musical. Visitem a nossa loja e vejam os clarinetes que temos em catálogo.

Publicado no dia 2022-10-20 por Salão Musical de Lisboa Atualidade, Sopro 0 287
Tag: clarinete

Deixar um comentárioDeixar uma resposta

Tem que ter a sessão iniciada para poder comentar este artigo.

Sem produtos

A ser calculado Portes de envio
0,00€ IVA
0,00€ Total

O preço incluí IVA

Pagar