Salão Musical de Lisboa Loja de instrumentos musicais desde 1958
Salão Musical de Lisboa Loja de instrumentos musicais desde 1958

Usamos cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Configuração de cookies

Costumização
  • Cookies de terceiros para fins analíticos.
  • Mostre recomendações personalizadas com base na sua navegação em outros sites.
  • Mostre campanhas personalizadas em outros sites.
Funcional (obrigatório)
  • Necessário para navegar neste site e usar suas funções.
  • Identifique você como um usuário e armazene suas preferências, como idioma e moeda.
  • Personalize sua experiência com base em sua navegação.

As canções nomeadas para os Oscars 2024

Publicado por2024-02-27 por 1007
Guardar

Conheçam as músicas nomeadas para Melhor Canção Original dos Oscars 2024.

A 96ª edição dos Oscars pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas acontece no Dolby Theatre em Hollywood, Los Angeles, Califórnia, no dia 10 de março, para distinguir os melhores filmes e artistas da indústria cinematográfica. E também a melhor música.

É a 89ª vez que são distinguidas as melhores canções originais que foram compostas especificamente para um filme. Este ano, há concorrentes de peso e alguns regressos às nomeações.

Venham conhecer as canções nomeadas.

Lista de nomeados

Melhor Canção Original Oscars 2024

"The Fire Inside" de Flamin' Hot – Diane Warren

"I'm Just Ken" de Barbie – Mark Ronson e Andrew Wyatt

"It Never Went Away" de American Symphony – Jon Batiste e Dan Wilson

"Wahzhazhe (A Song For My People)" de Killers of the Flower Moon – Scott George

"What Was I Made For?" de Barbie - Billie Eilish

Qual foi a primeira canção vencedora de um Oscar?

Notas finais

Melhor Canção Original Oscars 2024

"The Fire Inside" de Flamin' Hot – Diane Warren

Eva Longoria (lembram-se dela nas Desperate Housewives?) estreia-se na realização com um filme que conta a história do criador de um dos aperitivos mais picantes e populares do mercado norte-americano: os Flamin’ Hot Cheetos. Vejam o trailer de Flamin‘ Hot.

É uma história inspiracional à volta do sonho americano, com uma canção que assenta nos ritmos modernos de inspiração latino americana. Escrita por Diane Warren, uma compositora que começou a carreira com a canção Rhythm of the Night (não é essa que estão a pensar), e que teve nove canções no topo da tabela de vendas como If I Could Turn Back Time (Cher, 1989), Because You Loved Me (Celine Dion, 1996), How Do I Live (LeAnn Rimes, 1997) e I Don't Want to Miss a Thing (Aerosmith, 1998).

Foi a primeira compositora a ter simultaneamente sete sucessos com sete artistas diferentes na tabela de singles.

A canção The Fire Inside é interpretada por Becky G, uma cantora que se lançou para o estrelato como tantos outros músicos modernos: fazendo covers para o YouTube. O seu talento chamou a atenção de um produtor, que lhe ofereceu um contrato discográfico. Desde então colaborou com vários músicos como Pitbull, Daddy Yankee, Zayn, Christina Aguilera e David Guetta.

Becky G recebeu várias distinções e, aos 27 anos, é uma das mais populares vozes da música latino-americana.

Instrumentos musicais de
percussão no Salão Musical

Instrumentos musicais de percussão no Salão Musical

"I'm Just Ken" de Barbie – Mark Ronson e Andrew Wyatt

Mark Ronson é um dos produtores mais influentes dos últimos 20 anos. De Amy Winehouse a Bruno Mars, Ronson está ligado a algumas das melhores canções e sucessos da pop moderna.

A canção ganhou um espaço importante no filme um pouco por acaso. "I'm Just Ken" foi uma das primeiras canções escritas para Barbie the Album. Depois de ler o guião de Barbie, Mark Ronson escreveu esta balada à anos 80 pois simpatizou com a personagem de Ken.

Ronson gravou uma demo enviou-a para Greta Gerwig, a realizadora do filme. Gerwig adorou a música e mostrou-a a Ryan Gosling, que faz o papel de Ken. Gosling gostou tanto que perguntou se poderia cantar a música no filme. Caso não saibam, há quase 20 anos que Gosling tem uma carreira musical paralela com os Dead Man’s Bones, em dupla com o amigo Zach Shields, além de ser a estrela de um dos musicais mais importantes do século XXI, La La Land.

Para encaixar a música no enredo, Gerwig reescreveu uma cena importante do filme, mas ainda bem. Apesar de Gosling ter tido apenas três horas para gravar a faixa, é uma canção que define e dá outra dimensão ao seu personagem.

Depois de gravada a voz, Ronson enviou a faixa para o guitarrista dos Guns N' Roses, Slash, que concordou em tocar,que conta também com o guitarrista Wolfgang Van Halen e o baterista Josh Freese, que acompanhou e acompanha os Foo Fighters, The Vandals, A Perfect Circle, Nine Inch Nails entre muitas outras bandas.

Vejam o trailer de Barbie.

Guitarras
Elétricas no Salão Musical

Guitarras Elétricas no Salão Musical

"It Never Went Away" de American Symphony – Jon Batiste e Dan Wilson

Jon Batiste é considerado como um dos compositores mais inovadores da sua geração, que está a redefinir a expressão musical no século XXI. A música de Batiste é uma mistura única de jazz, música clássica e pop, movida pela crença de que a colaboração musical nos torna mais humanos.

Jon Batiste gravou e tocou com artistas como Stevie Wonder, Prince, Willie Nelson, Lenny Kravitz, Ed Sheeran, Lana Del Rey, Roy Hargrove, Juvenile e Mavis Staples. A sua banda Stay Human, foi o grupo residente no The Late Show com Stephen Colbert de 2015 a 2022, onde também assumia o papel de diretor musical.

Não é uma estreia nos Oscars para Batiste que, em 2020, co-compôs a banda sonora do filme de animação da Pixar, Soul, com Trent Reznor e Atticus Ross. A banda sonora de Soul ganhou o Oscar, um Globo de Ouro, um Grammy e um BAFTA Film Award.

Desta vez, é a alma de Jon Batiste que podemos ver, num documentário que o acompanha durante um ano na criação de uma sinfonia, ao mesmo tempo que a sua mulher, a escritora Suleika Jaouad, está a sujeitar-se ao tratamento de um cancro. É uma história de amor, de resiliência, sobre como a arte e a criatividade são gestos de coragem e de sobrevivência. Sobre como a música é essencial para a nossa humanidade. Vejam o trailer de American Symphony.

It never went away é a canção deste documentário, tocada ao piano e cantada por Jon Batiste.

Pianos no Salão Musical

Pianos no Salão Musical

"Wahzhazhe (A Song For My People)" de Killers of the Flower Moon – Scott George

A canção "Wahzhazhe (A Song for My People)", usada na cena final do filme Killers of the Flower Moon, foi escrita por Scott George, Kenny Bighorse e Vann Bighorse, membros da nação Osage, uma das tribos indígenas norte-americanas.

A música foi interpretada pelos Osage Tribal Singers e é a primeira vez que um membro da Nação Osage é nomeado para um Oscar. A música usa as vozes e os ritmos da música tradicional Osage, e conta uma história de sobrevivência, perseverança e coragem.

É um dos pontos altos do filme de Martin Scorsese, um western que é também um drama e uma história de crime. Killers of the Flower Moon é sobre os assassinatos que aconteceram na década de 1920 contra os Osage, no Oklahoma, após a descoberta de petróleo em terras tribais. >Vejam o trailer de Killers of the Flower Moon.

A banda sonora do filme foi o último trabalho de Robbie Robertson, membro dos The Band, e que faleceu em 2023.

"What Was I Made For?" de Barbie - Billie Eilish

A fechar a lista temos mais uma canção do filme Barbie, pela mão de dois repetentes em nomeações e vencedores de Melhor Canção Original em 2022 com No Time to Die, do filme de James Bond com o mesmo nome. Billie Eilish e Finneas O’Connell saíram de um marasmo criativo com esta canção, que fecha o filme num tom melancólico.

Se não são fãs da Billie Eilish, podem sempre apreciar a mestria de Molly Lewis, que assobia no tema na perfeição. A sério, vale mesmo a pena ouvir.

Qual foi a primeira canção vencedora de um Oscar?

A história das nomeações de melhores canções em filmes começa na sétima edição dos Oscars, em 1934. A primeira canção vencedora foi “The Continental”, tirada do filme The Gay Divorcee e foi cantada por Leo Reisman.

O filme conta com a participação de Fred Astaire e Ginger Rogers, uma das duplas mais clássicas e famosas da história do cinema. The Gay Divorcee é uma adaptação de um musical teatral que tinha imensas canções de Cole Porter, das quais usaram apenas uma que toda a gente conhece.

Instrumentos de sopro no
Salão Musical

Instrumentos de sopro no Salão Musical

Notas finais

Os nomeados para Melhor Canção Original dos Oscars 2024 vão desde o tradicional à pop moderna, e contam histórias de coragem, superação e de descoberta pessoal, cada uma à sua maneira. São mais do que um elemento decorativo dos filmes a que pertencem, são parte da sua narrativa e uma representação musical do seu espírito.

Agora que já as conhecem, que tal aprender a tocá-las no vosso instrumento musical favorito? O Salão Musical tem tudo o que precisam para fazerem a música que acompanha as vossas vidas.

Visitem a nossa loja e escolham o instrumento musical perfeito para vocês.

Foto de Jakob Owens / Unsplash
Tag: piano
Deixar um comentário
Deixar comentário
Faça login para inserir um comentário
Salão Musical de Lisboa Loja de instrumentos musicais desde 1958

Salão Musical de Lisboa

Crie uma conta gratuita para guardar produtos favoritos.

Registar