Como escolher cordas de guitarra?

Como escolher cordas de guitarra?

Depois de terem passado imenso tempo à procura da guitarra com aquele timbre especial, dos pedais de efeitos que lhe dão outra dimensão e do amplificador com aquela projecção e fidelidade que vos destaca da maioria, vão comprar um jogo de cordas qualquer?

É como comprar um carro super-desportivo e meter-lhe pneus de supermercado, do tamanho que estiver mais à mão. Não vão tirar o melhor rendimento do bólide nem demonstrar a vossa perícia ao volante.

Para não se estamparem, venham conhecer as características dos encordoamentos para guitarras eléctricas e acústicas, e como cada uma delas influencia a vossa técnica e sonoridade. 

Calibre

Os jogos de cordas têm calibres diferentes, e os conjuntos mais comuns têm as seguintes designações e diâmetros:

- extra super light: .008 .010 .015 .021 .030 .038

- super light: .009 .011 .016 .024 .032 .042

- light: .010 .013 .017 .026 .036 .046

- medium: .011 .015 .018 .026 .036 .050

- heavy: .012 .016 .020 .032 .042 .054

Nota: os valores são em polegadas - uma corda .010 tem um centésimo de polegada de diâmetro. 

Para simplificar a identificação de cada jogo e não termos que andar com um paquímetro no bolso, identificamos o conjunto pelo valor do diâmetro da corda de Mi agudo. Quando pedem um jogo de cordas na loja dizem que querem um conjunto .009 (zero nove) ou .010 (zero dez).

Os conjuntos light têm um som mais brilhante, são mais flexíveis, mas produzem menos volume e partem-se mais facilmente. Exercem menos pressão no braço da guitarra. 

São mais fáceis de usar por principiantes - ainda sem calos nem músculo nos dedos- e as preferidas de solistas e dedilhadores. São também indicadas para guitarras mais antigas para não forçar a estrutura.

Os conjuntos médios / pesados são menos maleáveis, mais estáveis, e têm mais sustentação e volume. São melhores para sons mais pesados, têm maior presença na frequência de graves e as preferidas por quem toca acordes de heavy metal em alta cadência mas também por quem toca jazz. São indicadas para quem gosta de usar afinações alternativas, para tocar com ou sem slide

Este artigo explica como a espessura das cordas pode afetar desde a vossa sonoridade até à calibração da guitarra.

Materiais

As cordas para guitarra elétrica são fabricadas em:

  • aço niquelado (nickel-plated steel), as mais populares por oferecerem um bom ataque e um timbre versátil;

  • níquel puro (pure nickel), que soam mais quentes e são melhores para um som vintage;

  • aço inoxidável (stainless steel), que indica logo que são mais resistentes à corrosão, com brilho e mais sustentação sonora;

As guitarras acústicas de cordas de aço não usam realmente cordas de aço. Apesar de poderem usar encordoamentos de guitarra elétrica não são a melhor opção: como foram pensadas para ser usadas com pickups, não têm o mesmo rendimento no modo acústico. 

As cordas para guitarras acústicas são tradicionalmente em bronze, ou em bronze com revestimento de fósforo, para prevenir a oxidação. As primeiras são mais versáteis, as segundas têm um som menos brilhante.

Construção

Núcleo

As cordas de menor diâmetro (Mi-Si-Sol) são apenas um fio metálico único. No entanto, as restantes (Ré-Lá-Mi, e mais graves) são constituídas por um núcleo, rodeado por um enrolamento. Há dois tipos de núcleos: o redondo, usado desde sempre até a D’Addario ter decidido inventar o hexagonal, em que o fio interior está moldado para ter seis faces.

Roundwound strings.png

A vantagem do formato hexagonal está na maior aderência do enrolamento em volta do núcleo, deslizando menos com as variações de tensão e com o uso, mantendo a consistência na afinação.

As cordas com núcleo hexagonal são menos maleáveis mas mais resistentes ao abuso, com um ataque mais forte, mas perdem no sustain e no calor do timbre para as de núcleo redondo, que têm um som mais clássico.

Hexwound strings.png

Enrolamento

O enrolamento pode ter maior ou menor relevo. As roundwound têm um fio redondo à volta do núcleo, que lhes dão maior textura no toque. É o tipo de revestimento mais comum. Nas flatwound o relevo é menor, parecendo quase lisas, o que diminui o ruído ao deslizar os dedos, por isso são muito utilizadas por músicos de jazz.

Flatwound strings.png

Revestimento

Quem já ouviu falar das Elixir sabe que elas são muito apreciadas pela sua durabilidade, graças ao seu revestimento que ajuda a prevenir a corrosão, provocada pelo suor, óleo e pele morta das mãos. 

Existem outras marcas a apresentar revestimentos de protecção mas esta é a mais conhecida, e a pioneira no mercado. Há quem ache que, devido a esse revestimento, as cordas têm um som menos brilhante. Mas vejam as vantagens.

Quais são as melhores? 

A questão é “quais são as melhores para vocês?”

A resposta está no que vocês sabem e precisam de tocar. No jogo das cordas há várias opiniões: há quem defenda marcas e há quem diga que elas são todas feitas na mesma fábrica e apenas muda a embalagem. Há quem queira cordas que durem, há quem queira cordas aos montes para ter sempre um conjunto pronto a estrear à mão.

 

Se tocam apenas por prazer, não sejam obsessivos com as cordas que usam. Se tocam profissionalmente, escolham as que se adaptam melhor à vossa guitarra, estilo e som, e comprem-nas em quantidade, porque vão andar a trocar sempre de cordas. 

Saibam quando e como trocar de cordas. Comprem as que vos fazem tocar e soar melhor, é sempre possível levar o vosso som para outro nível.

 

Não estiquem a corda para ver quais são as melhores. Venham ao Salão Musical de Lisboa e vejam que jogos temos para vocês.

Publicado no dia 2019-07-03 por Salão Musical de Lisboa Cordas 0 192

Deixar um comentárioDeixar uma resposta

Tem que ter a sessão iniciada para poder comentar este artigo.

Procurar no blog

Categorias do blog

Sem produtos

A ser calculado Portes de envio
0,00€ IVA
0,00€ Total

O preço incluí IVA

Pagar